Ex-major dos bombeiros que matou companheira a tiros dentro de escola é condenado a mais de 15 anos de prisão

O ex-major do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia que matou a esposa a tiros dentro da escola onde a mulher trabalhava, em Salvador, foi condenado nesta terça-feira (17) a 15 anos, 1 mês e 15 dias de prisão.

O crime ocorreu no dia 13 de maio de 2016. Sandra Denise Costa Afonso, de 40 anos, era professora e vice-diretora da instituição e estava trabalhando no momento em que foi atacada.

Na época, Valdiógenes Almeida Cruz Júnior, de 45 anos, confessou o crime, alegou ciúme como causa do assassinato e foi exonerado do cargo. Ele está preso há 3 anos.

O acusado passou por júri popular em Salvador. Após a audiência, ele foi encaminhado para a Penitenciária Lemos de Brito, no bairro da Mata Escura, onde cumprirá a pena em regime fechado.

Caso

Crime ocorreu dentro de escola municipal em Salvador  — Foto: Ramon Ferraz/TV Bahia

O crime aconteceu na Escola Municipal Esperança de Viver, no bairro de Castelo Branco. Sandra Denise estava sozinha em uma sala de aula quando foi alvejada e morreu na hora.

Após a ação, Valdiógenes Almeida pulou o muro da unidade de ensino e fugiu. Ele se apresentou à polícia horas depois do crime.

Com o assassinato, as aulas foram suspensas na escola por mais de três dias

Sandra Denise Costa Afonso tinha 40 anos quando foi morta a tiros pelo companheiro em Salvador — Foto: Reprodução/TV Bahia

Segundo a polícia, o acusado e a professora estavam casados há 21 anos e tiveram uma filha, que, na época do crime, tinha 14 anos.

De acordo com familiares, Sandra e Valdiógenes se conheciam há mais de 20 anos. O casal iniciou a relação em Belém, quando o militar foi fazer um curso na capital paraense, e a vítima se mudou para Salvador.

Após o crime, familiares de Sandra viajaram para a capital baiana e levaram o corpo da professora para ser enterrado no Pará.