Everton não renova com agente, mexe com bastidores do Grêmio e gera corrida por ofertas no mercado

Como pano de fundo da proposta da China do total de 45 milhões de euros que não interessou ao Grêmio, há um rompimento entre Everton e seu antigo agente Gilmar Veloz. O jogador não renovou a procuração que terminou recentemente com o empresário, criou mal-estar nos bastidores do clube gaúcho e gerou corrida entre agentes na tentativa de vender o atleta a um mês do fechamento das principais janelas europeias.

O Grêmio nega que tenha recebido qualquer oferta por Everton. O clube gaúcho tem antiga relação com Veloz, que detém 30% dos direitos econômicos do atleta. Foi o empresário quem ajudou o Grêmio com R$ 300 mil para comprá-lo junto ao Fortaleza em 2013. Apesar de não ter mais procuração do jogador, com quem trabalhava desde 2012, Veloz ainda tem prioridade para fazer a negociação nesta janela de negociações.

A notícia do fim da parceria de Everton com o agente correu o mercado. O jogador segue com Marcio Cruz, que trabalhava em parceria com Veloz desde a chegada do jogador de Fortaleza. Inclusive, o jogador comunicou ao Grêmio que seus interesses a partir de agora devem ser tratados com Marcio Cruz. O GloboEsporte.com tentou contato com Marcio, mas não conseguiu falar com o novo representante de Everton.