Desaparecimento de crianças após morte dos pais ainda é mistério na Bahia; caso tem dois anos

As duas meninas que desapareceram após os pais serem achados mortos na cidade de Pedrão, a cerca de 130 quilômetros de Salvador, ainda não foram encontradas, dois anos após o sumiço delas.

Nem a polícia, nem a família das crianças sabe do paradeiro de Sofia Lima, que tinha de 1 ano e 4 meses quando desapareceu, e Luna Moreira, na época, com 5 anos. Ainda em 2017, um mês após desaparecimento das crianças, o avô paterno das meninas, Roberto Luiz do Rosário Lima, de 61 anos, disse que a família juntou R$ 5 mil para oferecer como recompensa para quem encontrasse as crianças, mas o ato não teve sucesso.

Os pais das meninas, Robinson Luis Gomes, e a companheira, Juliana Conceição do Nascimento, foram executados dentro de um carro, em Pedrão, no mês de abril de 2017. Familiares relataram à polícia que as crianças estavam com os pais no veículo, no momento do crime, mas a informação não foi confirmada pela Polícia Civil.

As investigações sobre o caso seguiram, mas até então, não há detalhes sobre autoria e motivação do crime contra Robinson e Juliana.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que após a realização de todos os procedimentos e perícias, ficou concluído que não existe elementos que comprovem que as crianças estiveram no veículo. As buscas pelas crianças foram realizadas durante toda a investigação e todas as testemunhas possíveis ouvidas.

Já o Ministério Público Estadual (MP-BA) chegou a pedir o arquivamento do caso em 2018, mas conforme informações da assessoria do órgão, surgiram novos documentos de laudos periciais juntados ao processo.

Diante dos novos elementos, o MP-BA solicitou na segunda-feira (10), que a Polícia Civil realize novas diligências sobre o caso. Não há detalhes sobre os documentos obtidos pelo órgão estadual.

Crime

Corpos dos pais das meninas e de outro homem foram encontrados em matagal na cidade de Pedrão, em 2017 — Foto: Reprodução/ TV Bahia

Juliana e Robinson, pais das crianças desaparecidas, e um homem identificado como Danilo Luis Araújo Souza, foram achados mortos na zona rural de Pedrão no final de abril de 2017. Danilo e Juliana foram encontrados com marcas de tiros dentro de um carro que havia sido alugado no dia anterior na cidade de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano.

Robinson Luis Gomes, que era companheiro de Juliana, foi achado morto, também com marcas de tiros, fora do veículo, na mesma localidade. Robinson é suspeito de tráfico de drogas e atuava em Valéria, bairro de Salvador, segundo a polícia.

Além dos corpos, foram localizados dentro do carro três armas. A polícia não soube informar se Robinson já havia sido preso por tráfico, mas informou que ele atuava em um grupo criminoso na região de Valéria. Ele seria o alvo do ataque. Ainda segundo a polícia, Juliana também tinha envolvimento com a quadrilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.