Cartelas físicas da Zona Azul deixam de ser comercializadas a partir da próxima semana

A partir da próxima terça-feira (15), as cartelas de papel da Zona Azul não serão mais comercializadas para as mais de 12 mil vagas do estacionamento rotativo da capital baiana. Isso porque o modelo digital completará um ano em funcionamento, encerrando o prazo de 12 meses estabelecidos pela Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) para concluir a digitalização do sistema em toda a cidade. Para que não haja prejuízo para quem já adquiriu as cartelas, estas ainda poderão ser utilizadas até o dia 30 sem que haja problemas com a fiscalização.

Sem cartelas, a fiscalização em toda a cidade seguirá o modelo de locais como Barra, Rio Vermelho e Comércio, que já estão completamente digitalizados. Os agentes utilizarão um aplicativo próprio, onde poderão conferir se o veículo está ou não estacionado de forma regular.

“Os motoristas credenciados para estacionamento em vagas especiais (idosos, pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção, gestantes e lactantes) comprarão os créditos normalmente, pelo aplicativo ou com um operador, como qualquer outro condutor. Porém, nas vagas reservadas, além da ativação do crédito, continua sendo obrigatório manter no painel do veículo o cartão de credenciamento emitido pela Transalvador”, lembra o superintendente de trânsito, Fabrizzio Muller.

Os créditos podem ser comprados com antecedência ou apenas no momento em que o motorista for estacionar o veículo. Não haverá alteração nos valores já cobrados atualmente, de R$3 por 2h, R$6 por 6h e R$9 por 12h. Em eventos, a cobrança pode variar entre R$10 e R$20, dependendo da sinalização. Além disso, o usuário poderá utilizar uma tolerância de 15 minutos. Caso saia da vaga dentro deste prazo, o valor adquirido ficará com crédito para uma nova utilização.